Andar a Pé

Hoje terminei de ler um texto de Henry David Thoreau com o título de: Andar a Pé. O texto pode ser encontrado aqui, são poucas as páginas cerca de 26 e, uma vez iniciado a leitura, impossível parar.

Mais de 150 anos passados após escrito este texto, e o contexto em nada parece ter mudado, apenas, a cada novo instante que se passa, mais se consolida a atitudes erradas – pelo menos, eu considero – que a humanidade vem caminhando.

Engraçado como andar a pé se torna impossível em nossa sociedade que esta cada vez mais corrida. Já escrevi um texto em meu blog pessoal, refletindo de como as bicicletas em uma via, se tornam reféns dos mais fortes, ou seja, dos motores. Não se tem mais prazer em andar, a segurança cada vez se torna mais um pesadelo, e cada vez mais rápidos tentamos trocar as marchas da bicicleta na ânsia de estar sempre antes ao destino que sempre chegaremos depois.

Vejo o quanto cativos nos tornamos ao estar sempre a seguir uma via, estar em um veículo com motores ou não. Acho engraçado os comerciais de automóveis e a sensação de liberdade que eles trazem, é como se dessem uma chave, apontassem para uma jaula e lhe dissem: Olhe, entre lá, tranque-se, jogue a chave fora que você gozará de uma liberdade inalcançável. E fazemos tanto esforço de que esta fantasia é verdadeira, que como doceis animais, caminhamos aonde nossos pastores nos conduzem.

Andar a pé, é um ótima reflexão em tempos que vivemos. O tempo presente parece carecer de novas formas, de novas práticas de novas ideias, mas estas muitas já foram nos dada e nos perdemos nas ideias que forçamos a acreditar serem as únicas corretas. Andar a pé, é um leitura obrigatória a todos que, ao andar de bicicleta, sente que ainda precisa alcançar algo mais libertador, mais prático, mais saúdavel, mais puro como o caminhar com seus próprios pés!

Anúncios

2 respostas em “Andar a Pé

  1. Muito bom, cara! Fantástica, de tão na cara, a percepção de que o carro é uma jaula vendida como liberdade… Tá na cara! Isso explica toda a farsa da cultura contemporânea. Eu gosto muito de andar a pé (mais do que de bicicleta, na verdade… – bom, mais do que de carro com certeza).

  2. Na maioria das vezes não reclamo de andar á pé, vc pode pegar um trem ou um busão e ler um livro, hj mesmo estava lendo um livro q adquiri em 2004 e cujo título é: “Filosofia do horror ou Paradoxos do Coração, Noel Carrol!” achwei q o livro era uma porcaria pois comprei ele novom por R$7,00, com este valor vc nem comprar um livro do Paulo Coelho, (e olha Q PC é uma merda), mas voltando ao tema, creio q nossa atual civilização brasileira está precisando de reflexões honestas sobre sua existencia. Pergunta p/ algum japonês se ele está preocupado com o príoximo lançamento dos etor automotivo, ele quer saber como fazer p/ sobreviver á novos terrremotos. Esses dias vi numa comunidade do orkut sobre Desenvolvimento Sustentável um texto de um tal de Jean vien Jean q falava: “Se cada um varresse a calçada da sua casa, no fim do dia a rua toda estaria limpa.” Tem muita coisa q tem o maior valor é da maior simplicidade!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s