Sem fantasia…

A 2a edição da Bicicletada ABC 2011, agora fixa em Santo André, era pra ser “à fantasia”, mas os 5 intrépidos ciclistas que apareceram na praça, se quer estavam fantasiados de ciclistas…

Prontos para o Pedal!

Como o show não pode parar, o bate papo rolou solto, também o texto de Ivan Illich, “Energia e Equidade”, foi distribuido para boas inspirações, quem sabe.

O legal da Bicicletada, é que ela serve pra qualquer “tipo” de ciclista, grupos em geral bastante diversos e herméticos, se reunem em torno de algo comum: suas bicicletas, tendo como cenário as cidades e dificuldades comuns.

Por sobre a cidade.

Saímos para um passeio em direção ao Parque Central. Pedalar em grupo é sempre mais tranquilo, e rapidinho estávamos em frente ao parque, que estava fechado. São poucas as opções sem ar condicionado nas cidades.

Nos dirigimos então ao Parque Celso Daniel, que antigamente funcionava as 24h do dia, mas… agora só funciona até as 22h, reabrindo pela manhã. Passamos pelo Parque e depois fomos ao Habbibs, logo em frente.

Mais conversa, um outro ciclista também se juntou ao grupo. Falamos sobre viagens, planos, o bonde de Curitiba, os pedais no ABC, sobre valores de bicicletas, roubos de bicletas, suas justificativas. Citamos um filme não comercial, mas um clássico: “Ladrões de Bicicleta”, e a noite tinha tudo pra terminar assim, agradável.

Gratuitamente estacionadas

Mas pra quem se propõe viver a cidade como ela é, sem ar condicionado ou vidraças, em suas riquezas, pobrezas, contradições e injustiças, a noite ainda nos reservava das suas.

Nos dirigíamos para a estação ferroviária quando um grupo, subindo a rua que nos fazia esquina, gritava pela polícia e o famoso: “pega ladrão!!!”

Um rapaz correu pra um lado e o outro passou correndo a nossa frente. Tudo muito rápido, mas de bicicleta foi fácil alcançar o garoto, que derrepente estava deitado no chão, na calçada do shopping, levando uns pontapés.

Outros ciclistas se aproximaram pedindo calma, um empurra empurra daqui, um bate boca de lá, e o menino negro não se livrou de levar um tapa na cara do homem branco.

As duas bolsas supostamente roubadas nem eram do grupo que corria e gritava pelo também suposto “ladrão”, mas a fome de “justiça”, os fez deduzir a cena e correr atrás dos rapazes.

A Senhora Justiça, passa a ter então, em sua balança, dois pesos e duas medidas…

Digamos que os rapazes roubaram a bolsa, contê-los é não aceitar o fato e lutar pelo direito de viver numa cidade onde você possa andar de noite na rua.

Mas o tribunal estava montado, e o famoso direito, a famosa justiça, só pesavam pra um lado. Mesmo sentença de morte, como o famoso “pipoco na cara” foi anunciado. A famosa “coça” também podia dar um jeito no “marginal”, que dali pra frente poderia pensar duas vezes, ou quem sabe, andar armado, só pra evitar tapas na cara…

Um senhor passou e opinou sobre a “sentença de morte”, outros rapazes disseram que os “playblas” talvez não conheçam o “Cruzado II”.

O garoto, que se defendia chamando à todos de “Senhor”, foi levado pela polícia, que não teve muito o que dizer.

A Bicicletada ABC vai se estabelecendo como um espaço de interlocução com a cidade, para tod@s, mas a noite acabou assim, sem fantasias…

OBS: Para melhor interpretação dos fatos (ao menos no ponto de vista de quem escreve), sugerimos o filme “Quanto Vale, ou é por quilo?” de Sérgio Bianchi.

Anúncios

5 respostas em “Sem fantasia…

  1. Bem pessoal estive lá neste evento e como dizem grande ou pequeno roubo é roubo, bem segundo relatos posteriores, os dois individuos realmente eram ladrões, e lugar de ladrão só tem 2, Cadeia ou inferno.
    Bem sem generalizar, a maior perca de um assalto ou furto não é o bens que te levam, pq isso o dinheiro compra mas, é o terrorrismo que eles, os ladrões, fazem, deixando nas pessoas medo, sensação de impotencia, pois não sabe o q fazer na hora e a sensação de perda de seus bens q custou a ter, assim transformando a cidade em um lugar que andamos com medo o tempo todo. Por isso digo: A justiça foi feita ali, se depois soltaram td bem, mas sabemos que fizemos a nossa parte em ajudar.
    Um forte abraço a todos e parabéns a todos da Bicicletada ABC

    • Só queria dizer aqui que em uma sociedade tão complexa como a nossa ( mais complexa do que deveria na minha opinião ) há bem mais lugares do que 2 para os ladrões.Isso tambem é valido para o sentido que se pode dar a palavra terrorismo. São muitos, e um deles é viver em condições subhumanas sem ter o minimo nescessario para sobreviver ( e ainda assim seguir sobrevivendo), sem ter acesso a lazer, possibilidade de crescimento intelectual e fisico graças a subnutrição, ser obrigado a viver em um ambiente que não é tão diferente assim do inferno e saber que há pessoas pagando fortunas para se tratar da obesidade. Em uma sociedade baseada na exploração e consequente desigualdade é impossivel se falar de justiça a não ser que se esteja falando de uma justiça parcial e classista. Acho que é esse o caso.
      Abraceijos a todos e até a proxima.

  2. Olha é foda ter essa sensação de justiça c/ as próprias mãos mas é dificil sutentar vagabundo com dinheiro de impostos e saber q nossos maiores ladrões estão no poder, é preciso uma reformulação total em nosso código legislativo, judiciário e executivo, bom o dificil é p/ ocorrer esta mudança não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s