O Problema da Aparência

Não acredito que esse seja um problema único da região do Grande ABC, mas que aconteça também em outros lugares. No entanto, como ando e vivo aqui nesta região, só posso falar pelo que vejo e experimento por aqui.

Andar em pistas que passam ônibus são verdadeiros testes a paciência e a atenção. No entanto, é notável como alguns ciclistas são mais respeitados que outros. Um grupo de ciclista em uma bicicleta speed, com roupas e capacetes, são muito mais respeitados do que aquele que anda em uma barra forte de havainas, bermuda e camisa desabodoada. Mas não quero julgar os motoristas de ônibus, pois eles sozinhos não fazem o trânsito.

Nossa sociedade é muito movida pelas aparências, e isso é um problema muito mais “embaixo” que se possa imaginar. No entanto, não tiro a culpa de alguns ciclistas, que simplesmente agem também sem o mínimo respeito com o próximo.  E, como a bicicleta não é um indicador de “status” social, porque deveria ser respeitda? Afinal, ciclista com uma havaianas em uma barra forte é vagabundo.

Precisamos, nos ciclistas, concientizarmos do nosso papel perante a sociedade. Perceber, que a propaganda daquele carro super tecnologico, nos afasta cada vez mais de uma vida mais harmônica com a natureza. Precisamos entender o valor e o papel de cada ciclista, pedestre e vida nestas vias, que são pensandas e contruídas apenas para atender as necessidades dos veículos automotores. A conciência da indentificação de seu papel como ciclista, é fudamental.

O problema, entre nós, é o ciclista por necessidade e não por escolha. O que eu quero dizer é, aquele que com a ambição de adquirir um automóvel, não conseguindo, opta-se por uma bicicleta simples, mas que o atende. É importantíssimo que estes ciclistas percebam seus valores perante a sociedade. Percebam, o papel que desempenham tanto no trânsito como por influência no meio em que vivem. Embora, sua barra forte não seja o exemplo de beleza e “status” social, você tem um papel importantíssimo nessa ditaduro do automóvel e das aparências. Não se deixe iludir pelas imagens, mas sim procure compreender seu papel, e você.

No trânsito, muitos motoristas, de ônibus e caminhões, podem lhe ofender. Não há necessidade de revide, quando há a ciência de que você, em uma bicicleta simples, representa naquela via. Mostre, em alguns pedais, a afirmação desta sua compreensão que aos poucos os comportamentos dos motoristas e ciclistas vão alterando, mudando, para um melhor convívio nas vias.

Anúncios

3 respostas em “O Problema da Aparência

  1. Sim André compreendo a sua indignação, infelizmente vivemos de aparências e isso se reflete em td, e se esse ciclista circulasse com alguns livros no bagageiro da Barra Forte e fosse altamente intelectualizado, (vcs se lembram da célebre foto do Albert Einsten numa bike??) Será q as merdas de alguns motoristas se importariam com o conteúdo q esse cidadão em questão? Isso q eu vejo c/ a maioria de meus aligos ciclistas são tds esclarecidos, sabem ler e escrever e o melhor de tudo sabem defender seus argumentos, por isso não vamos nos abalar com estes “Pão-com-Merda” OK?? 1 forte abraço e muitos pedais!!!

  2. O que eu percebo aqui nas ruas de S. André é que o simples fato de eu estar de capacete e luvas já me dão “respeitabilidade” no trânsito. Os motoras estão me evendo como ciclista, não como um marmanjo desocupado, passeaum com o seu brinquedinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s